21 junho 2008

COMO PROCEDER EM CASO DE MAUS TRATOS

COMO PROCEDER EM CASO DE MAUS TRATOS: Aspectos Jurídicos



Procure a delegacia especializada do meio ambiente de sua cidade. Na falta de uma, procure a delegacia do bairro, e registre a ocorrência. Cite a legislação supra, principalmente a Lei n. 9.605/98) e peça que providências sejam tomadas. É interessante que você tenha uma cópia da lei em mãos. Você deverá sair da delegacia com um BO (Boletim de ocorrência). Se possível, leve fotos que possam comprovar a situação de maus tratos, que serão anexadas ao inquérito como uma prova material. Outra solução é procurar o Ministério Público da Cidade e fazer uma denúncia solicitando que adote as providências cabíveis.Você não será o autor da Ação Penal que porventura seja iniciada em razão do crime de maus tratos. Terminado o inquérito Policial, que é a investigação feita pela Polícia, aquele será remetido ao Ministério Público, que decidirá pela propositura ou não da Ação Penal. O autor da ação penal será o Ministério Público.


Em Natal a Delegacia do Meio Ambiente fica na Central do Cidadão do Praia Shopping (telefone: 84- 3232.7402), na Av. Engenheiro Roberto Freire, 8790.


Contatos com o Ministério Público Estadual do Rn, podem ser feitos via internet (http://www.mp.rn.gov.br/index.asp?pCod=174) ou por telefone ( 84-3232.7130).


O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte também tem um contato via internet (http://www.prrn.mpf.gov.br/contato.htm) ou no telefone (84-32213814).


Veja abaixo o que é maus tratos, de acordo com a legislação brasileira e qual a pena prevista para punição deste crime. Veja aqui o Decreto nº 24.645 de 10/07/1934 - Estabelece medidas de proteção aos animais.O que diz o decreto sobre maus tratos:


“Art. 3º Consideram-se maus tratos:


I - praticar ato de abuso ou crueldade em qualquer animal;

II - manter animais em lugares anti-higiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar ou luz;

III - obrigar animais a trabalhos excessivos ou superiores às suas fôrças e a todo ato que resulte em sofrimento para deles obter esforços que, razoavelmente, não se lhes possam exigir senão com castigo;

IV - golpear, ferir ou mutilar, voluntariamente, qualquer órgão ou tecido de economia, exceto a castração, só para animais domésticos, ou operações outras praticadas em beneficio exclusivo do animal e as exigidas para defesa do homem, ou no interêsse da ciência;

V - abandonar animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, bem coma deixar de ministrar-lhe tudo o que humanitariamente se lhe possa prover, inclusive assistência veterinária;

VI - não dar morte rápida, livre de sofrimentos prolongados, a todo animal cujo exterminio seja necessário, parar consumo ou não;

VII - abater para o consumo ou fazer trabalhar os animais em período adiantado de gestação;

VIII. - atrelar, no mesmo veículo, instrumento agrícola ou industrial, bovinos com equinos, com muares ou com asininos, sendo somente permitido o trabalho etc conjunto a animais da mesma espécie;

IX - atrelar animais a veículos sem os apetrechos indispensáveis, como sejam balancins, ganchos e lanças ou com arreios incompletos incomodas ou em mau estado, ou com acréscimo de acessórios que os molestem ou lhes perturbem o'fucionamento do organismo; X - utilizar, em serviço, animal cego, ferido, enfermo, fraco, extenuado ou desferrado, sendo que êste último caso somente se aplica a localidade com ruas calçadas;

XI- açoitar, golpear ou castigar por qualquer forma um animal caído sob o veiculo ou com ele, devendo o condutor desprendê-lo do tiro para levantar-se;

XII - descer ladeiras com veículos de tração animal sem utilização das respectivas travas, cujo uso é obrigatório;

XIII - deixar de revestir com couro ou material com identica qualidade de proteção as correntes atreladas aos animais de tiro;

XIV - conduzir veículo de terão animal, dirigido por condutor sentado, sem que o mesmo tenha bolaé fixa e arreios apropriados, com tesouras, pontas de guia e retranca;

XV - prender animais atraz dos veículos ou atados ás caudas de outros;

XVI - fazer viajar um animal a pé, mais de 10 quilômetros, sem lhe dar descanso, ou trabalhar mais de 6 horas continuas sem lhe dar água e alimento;

XVII - conservar animais embarcados por mais da 12 horas, sem água e alimento, devendo as emprêsas de transportes providenciar, saibro as necessárias modificações no seu material, dentro de 12 mêses a partir da publicação desta lei;

XVIII - conduzir animais, por qualquer meio de locomoção, colocados de cabeça para baixo, de mãos ou pés atados, ou de qualquer outro modo que lhes produza sofrimento;

XIX - transportar animais em cestos, gaiolas ou veículos sem as proporções necessárias ao seu tamanho e número de cabeças, e sem que o meio de condução em que estão encerrados esteja protegido por uma rênde metálica ou idêntica que impeça a saída de qualquer membro da animal;

XX - encerrar em curral ou outros lugares animais em úmero tal que não lhes seja possível moverem-se livremente, ou deixá-los sem Agua e alimento mais de 12 horas;

XXI - deixar sem ordenhar as vacas por mais de 24 horas, quando utilizadas na explorado do leite;

XXII - ter animais encerrados juntamente com outros que os aterrorizem ou molestem;
XXIII - ter animais destinados á venda em locais que não reunam as condições de higiene e comodidades relativas;

XXIV - expor, nos mercados e outros locais de venda, por mais de 12 horas, aves em gaiolas; sem que se faca nestas a devida limpeza e renovação de água e alimento;

XXV - engordar aves mecanicamente;

XXVI - despelar ou depenar animais vivos ou entregá-los vivos á alimentação de outros;
XXVII. - ministrar ensino a animais com maus tratos físicos;

XXVIII - exercitar tiro ao alvo sobre patos ou qualquer animal selvagem exceto sobre os pombos, nas sociedades, clubes de caça, inscritos no Serviço de Caça e Pesca;

XXIX - realizar ou promover lutas entre animais da mesma espécie ou de espécie diferente, touradas e simulacros de touradas, ainda mesmo em lugar privado;

XXX - arrojar aves e outros animais nas casas de espetáculo e exibí-los, para tirar sortes ou realizar acrobacias;

XXXI transportar, negociar ou cair, em qualquer época do ano, aves insetívoras, pássaros canoros, beija-flores e outras aves de pequeno porte, exceção feita das autorizares Para fins ciêntíficos, consignadas em lei anterior;"


Lei nº 9.605, de 12.02.98 - Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências.

Para ver o inteiro teor: http://www.mct.gov.br/legis/leis/9605_98.htm


O que diz a lei sobre maus tratos: “Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um sexto a um terço se ocorre morte do animal.”



Fátima Christiane Gomes de Oliveira
Fonte:Adote um Bicho

5 comentários:

bernard n. shull disse...

hi mate, this is the canadin pharmacy you asked me about: the link

JKishin disse...

Oieee,

Novo blog na luta animal:

http://olatido.blogspot.com/

Denúncia do 'abrigo dos horrores' em Imbituba, SC

Universo Bizarro em endereço novo. Tá ali linkadinho : - )))

Loba, a Keila disse...

O Tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa.
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêem.
O amor fica mais frouxo.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.
As carreiras terminam.

MAS... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estão entre vocês.

Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo em seu favor e esperando você de braços abertos, abençoando sua vida!

Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante.

Nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros.

FELIZ DIA DO AMIGO!

BeijUivoooooooooosssss da Loba

Ingrid disse...

Olá, achei muito interessante seu blog!
Tenho um blog sobre animais e queria saber se você gostaria de fazer troca de links, pois estou tentando divulgá-lo!
Desde já agradeço, e mais uma vez parabéns pelo blog!
meu blog:
http://animalvirtual.blogspot.com
Obrigada!

FRANCISCO disse...

gostei do blog! é muito importe ter conhecimento dessas informações!