30 outubro 2013

CÃES DO INSTITUTO ROYAL

Advogado nega denúncia de maus-tratos a cães no Instituto Royal, mas é vaiado em audiência

Segundo o deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), [...] "eles estavam levando os animais a óbito. Tem um documento que comprova que eles estavam testando agrotóxico e, depois de 90 dias, eles matavam o animal para depois fazer o estudo para saber qual foi o impacto do agrotóxico na vida desse animal."

http://www2.camara.leg.br/camaranoticias/noticias/CIENCIA-E-TECNOLOGIA/455819-ADVOGADO-NEGA-DENUNCIA-DE-MAUS-TRATOS-A-CAES-NO-INSTITUTO-ROYAL,-MAS-E-VAIADO-EM-AUDIENCIA.html

06 junho 2009


Na manhã da última quarta-feira, dia 03 de junho, a Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados aprovou por unanimidade o Substitutivo do Projeto de Lei 7.291/2006, que Proíbe a Exploração de Animais em Circos em Todo o Brasil.
Com isso, mais um importante passo foi dado em busca de uma sociedade melhor. Ainda faltam algumas etapas até que a Lei seja sancionada, mas, ficaremos atentos ao andar dessa carruagem e divulgaremos todas as novidades!
A PEA agradece aos Deputados que votaram a favor da vida, a todos que enviaram e-mails aos Srs. Parlamentares e, principalmente, a todos que lideraram essa batalha e estiveram em Brasília representando a vontade daqueles que nunca puderam se defender.
Para quem participou dessa luta e ao menos enviou um e-mail, o nosso muito obrigado em nome de diversos animais. Saiba que você fez a diferença!

02 novembro 2008

10 coisas que você pode fazer pelos animais


1- Compre produtos de empresas que não testam em animais - Todos os anos milhões de animais são queimados e expostos a experimentos cruéis e desnecessários, para manter a indústria da vivissecção, que fatura milhões de dólares em todo o mundo. Com o crescimento recente de empresas que aboliram a experimentação animal, a tendência é se diminuir os testes. Cada vez que você compra um produto livre de crueldade, equivale a menos um dolar para as empresas que usam animais.Verifique os ingredientes de sabões, shampoos, cremes, cosméticos e procure a frase "não testado em animais". No site abaixo, também há uma relação de empresas que não usam animais. http://www.geocities.com/RainForest/Vines/5011/empresasnao.html


2- Não coma carne - o sofrimento dos animais para consumo está além da nossa compreensão. Se você não consegue se tornar vegetariano, escolha um dia na semana para não comer carne. Suponhamos que você escolheu a terça-feira. Então nesse dia, faça uma receita vegetariana ou vegan .Não vale comer peixe. Se você quiser ver um matadouro nos EUA, onde as condições de abate são melhores que as do Brasil, clique aqui.


3- Evite produtos derivados de animais - Roupas, tênis, bolsas e demais acessórios de couro, objetos de marfim, casacos de pele, perfumes feitos com Almíscar, são produtos resultantes de crueldade contra animais. Comprando produtos que não venham de animais, além de pagar bem mais barato, estaremos agindo com ética, dando exemplo para as gerações futuras.Para ver a orígem do couro importado de países asiáticos, clique aqui


4- Não compre animais em lojas. Adote e esterilize - pode ser um animal de abrigo, da rua, de um canil municipal, mas não incentive criadores profissionais. A superpopulação de animais não é um problema de animais sem raça definida. Os CCZs (Carrocinhas) também recebem muitos animais de raça. Enquanto o povo brasileiro não estiver educado para respeitar animais, o comércio dos mesmos é nocivo.Para cada cão de raça vendido numa feira ou num pet shop, 2 cães vira-latas são mortos em canis municipais, vítimas de toda sorte de maus tratos.


5- Informe-se, participe - Inscreva-se em alguma lista onde possa se manter informado sobre o que acontece com os animais. Para saber mais clique aqui.


6- Escreva cartas- Em diversos web sites sobre animais, pede-se para que as pessoas escrevam cartas de protesto. Mandar e-mails é muito importante, mas há campanhas que necessitam de cartas, milhões delas, para que os representantes de governo considerem os apelos expressivos. Copie ou elabore um modelo de carta, mande e dê envelopes selados para seus amigos mandarem também. Você pode ajudar, é só querer. No link abaixo há abaixo-assinados online e pedidos de cartas (algumas até com modelo). Faça a sua parte. http://www.apasfa.org/peti/index.html Se quiser participar de uma lista que prepara protestos semanais para serem enviados pelo correio e (ou) por e-mail clique aqui


7- Faça um trabalho voluntário - Muitas associações já têm bastante gente trabalhando no dia-a-dia com os animais, masnecessitam de outros tipos de ajuda voluntária. Você pode arrecadar ração com a vizinhança e levar uma vez por mes, juntar jornaiis velhos, lixo reciclável (algumas entidades vendem latinhas e embalagens plásticas usadas), remédios, etc. A maioria das entidades também precisa de gente para elaborar campanhas, escrever artigos para a imprensa, traduções, etc. Escolha uma associação perto de você e doe uma parte do seu tempo.


8- Divulgue campanhas entre seus amigos- Muitos de nossos amigos não se importam com os animais, porque não se dão conta do que acontece com eles. Informe-os, ajude a conscientizá-los. Não mande a eles tudo o que você encontra sobre animais, mas selecione as campanhas de impacto e peça para que eles colaborem. Devagar, muitas pessoas estão se juntando a nós, graças à dedicação de voluntários que, com muita paciência, têm feito um belíssimo trabalho de conscientização.


9- Associe-se a alguma entidade- Contribuições em dinheiro são vitais para as associações, principalmente aquelas que têm abrigo. Escolha uma e assuma o compromisso de doar a quantia que puder. Pode ser contribuição anual, semestral, mensal, mas é importante que seja constante, para que a entidade possa contar com aquela quantia.


10 - Denuncie maus tratos a animais- Com a nova Lei de Crimes Ambientais, não há mais razão para não se denunciar maus tratos a animais. Você pode ir a uma delegacia e fazer a queixa. Tenha uma cópia da Lei impressa, mostre para o delegado e exija o cumprimento da Lei. Temos que fazer essa Lei "pegar" e isso é responsabilidade de cada um de nós. Procure uma associação e peça orientação, mas não deixe que crimes contra animais aconteçam diante de seus olhos, sem tomar uma atitude. Não seja cúmplice! Cópia da Lei pode ser encontrada no link a seguir: http://www.apasfa.org/leis/leis.shtml


Extraído do site: http://www.apasfa.org/futuro/dezcoisas.shtml

22 setembro 2008


Lançada a Cartilha do Dia Nacional de Adotar um Animal 2008


Ao idealizar o Dia Nacional de Adotar um Animal, inicialmente lançado em 2001, como uma proposta para mobilizar as pessoas á praticarem uma ação concreta em homenagem a São Francisco de Assis, percebi no decorrer dos anos, que existia a necessidade de adicionar um trabalho voltado para a conscientização através da leitura.


Em 2004, foi lançada a primeira cartilha, que atraiu o interesse dos educadores, dos verdadeiros protetores dos animais e dos formadores de opinião, a partir daí, ela passou a ser uma grande aliada neste trabalho em prol do bem estar animal.


Nesta nova edição, ela enfoca a marcante presença dos animais na sociedade, ressaltando que eles fazem um bem enorme ao ser humano, considerados como o melhor “remédio” para o corpo e para a alma.


A sociedade precisa nutrir-se de informações, para conseguir compreender que os animais devem ser reconhecidos como sêres que merecem muito mais que esmolas, precisam ser respeitados e protegidos.


A cartilha tem como objetivo provocar um amplo debate sobre o direito dos animais , visualizando um conjunto de fatores que direto ou indiretamente influenciam na sua condição de vida.


Algumas leis foram criadas para defender os animais, mas ainda não estão sendo cumpridas plenamente, por isto o ideal é promover a conscientização através de campanhas educativas.É fundamental despertar nas pessoas a vontade de tratar os animais com respeito, não adianta sancionar leis que obriguem as pessoas a tomarem atitudes corretas, se elas desconhecem porque isto deve ser feito. O ideal é investir no conhecimento, descobrindo a causa dos problemas que afligem os animais, é possível amenizar as conseqüências. As leis são muito importantes, mas não são suficientes para criar uma nova mentalidade, as pessoas precisam estar motivadas a agirem corretamente.


A Declaração Universal dos Direitos dos Animais, da UNESCO, celebrada na Bélgica em 1978, e subscrito pelo Brasil, menciona entre os direitos dos animais o de "não ser humilhado para simples diversão ou ganhos comerciais", bem como "não ser submetido a sofrimentos físicos ou comportamentos antinaturais".


Em nossa legislação atual maltratar animais, quer sejam eles, domésticos ou selvagens, caracteriza-se crime ecológico, conforme art.32 da Lei 9.605, de 13.02.98, com detenção de três meses a um ano, e multa, para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. Ou seja, maltratar animais é crime.


Adotar um animal precisa ser encarado como um compromisso com a vida deste ser indefeso, que necessita de cuidados, desde quando é um filhote até a senilidade, jamais pode ser abandonado em caso de doença, de velhice, de viagem, de mudança de moradia, enfim, permanecerá na companhia de seu dono até que a morte os separe.


Esta campanha visa, também, promover o controle da natalidade, enfocando a importância da castração para evitar que ocorra a superpopulação de animais, e por conseqüência os maus tratos, através de eventos que acontecerão em várias cidades.


A cartilha que tem distribuição gratuita, está sendo enviada para as pessoas que se cadastraram durante o ano para recebê-la e , também, está sendo encaminhada para os responsáveis por eventos que estão programados para acontecer no dia 4 de outubro , esta data tão especial para todas as pessoas que amam os animais.

4 de outubro Dia Nacional de Adotar um Animal!

Plante a semente da caridade e colha os frutos do amor.



FONTE:Animal livre

21 junho 2008

COMO PROCEDER EM CASO DE MAUS TRATOS

COMO PROCEDER EM CASO DE MAUS TRATOS: Aspectos Jurídicos



Procure a delegacia especializada do meio ambiente de sua cidade. Na falta de uma, procure a delegacia do bairro, e registre a ocorrência. Cite a legislação supra, principalmente a Lei n. 9.605/98) e peça que providências sejam tomadas. É interessante que você tenha uma cópia da lei em mãos. Você deverá sair da delegacia com um BO (Boletim de ocorrência). Se possível, leve fotos que possam comprovar a situação de maus tratos, que serão anexadas ao inquérito como uma prova material. Outra solução é procurar o Ministério Público da Cidade e fazer uma denúncia solicitando que adote as providências cabíveis.Você não será o autor da Ação Penal que porventura seja iniciada em razão do crime de maus tratos. Terminado o inquérito Policial, que é a investigação feita pela Polícia, aquele será remetido ao Ministério Público, que decidirá pela propositura ou não da Ação Penal. O autor da ação penal será o Ministério Público.


Em Natal a Delegacia do Meio Ambiente fica na Central do Cidadão do Praia Shopping (telefone: 84- 3232.7402), na Av. Engenheiro Roberto Freire, 8790.


Contatos com o Ministério Público Estadual do Rn, podem ser feitos via internet (http://www.mp.rn.gov.br/index.asp?pCod=174) ou por telefone ( 84-3232.7130).


O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte também tem um contato via internet (http://www.prrn.mpf.gov.br/contato.htm) ou no telefone (84-32213814).


Veja abaixo o que é maus tratos, de acordo com a legislação brasileira e qual a pena prevista para punição deste crime. Veja aqui o Decreto nº 24.645 de 10/07/1934 - Estabelece medidas de proteção aos animais.O que diz o decreto sobre maus tratos:


“Art. 3º Consideram-se maus tratos:


I - praticar ato de abuso ou crueldade em qualquer animal;

II - manter animais em lugares anti-higiênicos ou que lhes impeçam a respiração, o movimento ou o descanso, ou os privem de ar ou luz;

III - obrigar animais a trabalhos excessivos ou superiores às suas fôrças e a todo ato que resulte em sofrimento para deles obter esforços que, razoavelmente, não se lhes possam exigir senão com castigo;

IV - golpear, ferir ou mutilar, voluntariamente, qualquer órgão ou tecido de economia, exceto a castração, só para animais domésticos, ou operações outras praticadas em beneficio exclusivo do animal e as exigidas para defesa do homem, ou no interêsse da ciência;

V - abandonar animal doente, ferido, extenuado ou mutilado, bem coma deixar de ministrar-lhe tudo o que humanitariamente se lhe possa prover, inclusive assistência veterinária;

VI - não dar morte rápida, livre de sofrimentos prolongados, a todo animal cujo exterminio seja necessário, parar consumo ou não;

VII - abater para o consumo ou fazer trabalhar os animais em período adiantado de gestação;

VIII. - atrelar, no mesmo veículo, instrumento agrícola ou industrial, bovinos com equinos, com muares ou com asininos, sendo somente permitido o trabalho etc conjunto a animais da mesma espécie;

IX - atrelar animais a veículos sem os apetrechos indispensáveis, como sejam balancins, ganchos e lanças ou com arreios incompletos incomodas ou em mau estado, ou com acréscimo de acessórios que os molestem ou lhes perturbem o'fucionamento do organismo; X - utilizar, em serviço, animal cego, ferido, enfermo, fraco, extenuado ou desferrado, sendo que êste último caso somente se aplica a localidade com ruas calçadas;

XI- açoitar, golpear ou castigar por qualquer forma um animal caído sob o veiculo ou com ele, devendo o condutor desprendê-lo do tiro para levantar-se;

XII - descer ladeiras com veículos de tração animal sem utilização das respectivas travas, cujo uso é obrigatório;

XIII - deixar de revestir com couro ou material com identica qualidade de proteção as correntes atreladas aos animais de tiro;

XIV - conduzir veículo de terão animal, dirigido por condutor sentado, sem que o mesmo tenha bolaé fixa e arreios apropriados, com tesouras, pontas de guia e retranca;

XV - prender animais atraz dos veículos ou atados ás caudas de outros;

XVI - fazer viajar um animal a pé, mais de 10 quilômetros, sem lhe dar descanso, ou trabalhar mais de 6 horas continuas sem lhe dar água e alimento;

XVII - conservar animais embarcados por mais da 12 horas, sem água e alimento, devendo as emprêsas de transportes providenciar, saibro as necessárias modificações no seu material, dentro de 12 mêses a partir da publicação desta lei;

XVIII - conduzir animais, por qualquer meio de locomoção, colocados de cabeça para baixo, de mãos ou pés atados, ou de qualquer outro modo que lhes produza sofrimento;

XIX - transportar animais em cestos, gaiolas ou veículos sem as proporções necessárias ao seu tamanho e número de cabeças, e sem que o meio de condução em que estão encerrados esteja protegido por uma rênde metálica ou idêntica que impeça a saída de qualquer membro da animal;

XX - encerrar em curral ou outros lugares animais em úmero tal que não lhes seja possível moverem-se livremente, ou deixá-los sem Agua e alimento mais de 12 horas;

XXI - deixar sem ordenhar as vacas por mais de 24 horas, quando utilizadas na explorado do leite;

XXII - ter animais encerrados juntamente com outros que os aterrorizem ou molestem;
XXIII - ter animais destinados á venda em locais que não reunam as condições de higiene e comodidades relativas;

XXIV - expor, nos mercados e outros locais de venda, por mais de 12 horas, aves em gaiolas; sem que se faca nestas a devida limpeza e renovação de água e alimento;

XXV - engordar aves mecanicamente;

XXVI - despelar ou depenar animais vivos ou entregá-los vivos á alimentação de outros;
XXVII. - ministrar ensino a animais com maus tratos físicos;

XXVIII - exercitar tiro ao alvo sobre patos ou qualquer animal selvagem exceto sobre os pombos, nas sociedades, clubes de caça, inscritos no Serviço de Caça e Pesca;

XXIX - realizar ou promover lutas entre animais da mesma espécie ou de espécie diferente, touradas e simulacros de touradas, ainda mesmo em lugar privado;

XXX - arrojar aves e outros animais nas casas de espetáculo e exibí-los, para tirar sortes ou realizar acrobacias;

XXXI transportar, negociar ou cair, em qualquer época do ano, aves insetívoras, pássaros canoros, beija-flores e outras aves de pequeno porte, exceção feita das autorizares Para fins ciêntíficos, consignadas em lei anterior;"


Lei nº 9.605, de 12.02.98 - Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências.

Para ver o inteiro teor: http://www.mct.gov.br/legis/leis/9605_98.htm


O que diz a lei sobre maus tratos: “Art. 32. Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos:Pena - detenção, de três meses a um ano, e multa.§ 1º Incorre nas mesmas penas quem realiza experiência dolorosa ou cruel em animal vivo, ainda que para fins didáticos ou científicos, quando existirem recursos alternativos.§ 2º A pena é aumentada de um sexto a um sexto a um terço se ocorre morte do animal.”



Fátima Christiane Gomes de Oliveira
Fonte:Adote um Bicho

21 abril 2008

Abandono. . . como evitar


Abandono. . . como evitar

Nina Rosa


O abandono é uma das maiores dores que se pode sofrer; ele pode provocar seqüelas físicas e emocionais no abandonado, principalmente se for uma criança ou um animal - para quem a explicação racional das possíveis causas do abandono - surte pouco ou nenhum efeito. Um animal, por se manter mental e emocionalmente “infantil” durante toda a sua existência, será eternamente dependente do seu dono. Ele se afeiçoa à pessoa que cuida dele, desenvolve naturalmente forte sentimento de gratidão e passa a lhe dedicar a sua vida; se for abandonado por quem ele ama, poderá desenvolver várias doenças relacionadas à
tristeza, à depressão e à baixa auto-estima, chegando
à auto-mutilação.

Você não abandonaria o seu filho, ou seu animal de estimação. Porém, você pode estar contribuindo indiretamente para o abandono de seres sob sua responsabilidade, sem ter consciência disso,
se você:

tem um animal de estimação mas não lhe dedica atenção, afeto, tempo, amor, ele estará vivendo uma forma de abandono. Assim como a criança, o animal necessita sentir-se acolhido, aceito, amado e precisa que alguém brinque com ele. Se você tem um único animal e ele fica sozinho a maior parte do dia, pense em oferecer-lhe um companheiro para interagir.

Pode ser da mesma ou de outra espécie. Cães e gatos podem conviver em harmonia, quando a adaptação é feita amorosamente pelo humano. É bom lembrar que animais castrados são mais dóceis e adaptáveis. E nesse caso, podem ser da mesma espécie e de sexos diferentes ou não; a escolha é sua.

Animais solitários tendem a desenvolver hábitos destrutivos, auto-destrutivos e depressão. Se tudo que ele tem na vida é você, que só chega em casa à noite, ele praticamente passa a vida a lhe esperar, e demonstra toda sua carência no seu retorno, exigindo muita atenção; se são dois, eles passarão o dia interagindo, ainda demonstrarão toda sua alegria ao revê-lo, porém alegria é diferente de carência, e você terá a consciência mais tranqüila o dia todo.

promover o cruzamento do seu animal, seja ele macho ou fêmea, sem a certeza de ter suficientes donos responsáveis para todos os filhotes que possam nascer, (o que não é tarefa fácil), estará correndo o risco de promover o abandono. Muitas pessoas ainda vêm o animal de estimação como um brinquedo, ou um objeto que pode ser presenteado a alguém ou descartado ao surgir qualquer problema como: mudança de endereço (você mudaria para onde não pudesse levar toda a família?) doença na família, gravidez, o nascimento de um bebê, falta de tempo, de paciência, de dinheiro, de amor.

Um dos “seus” filhotes pode estar indo para alguém que se encanta momentaneamente porque ele é pequenino, ou porque é de raça, ou porque o filho demonstrou interesse... mas que após perceber que um novo membro na família dá trabalho, precisa ser adaptado, cuidado
e amado, quer se desfazer. E o entrega para qualquer um – às vezes a um funcionário que não quer o bicho mas quer agradar o patrão ou a um amigo que deseja ajudar a resolver “o problema” e que talvez não o
queira “mesmo”.

É bem provável que esse seja o início de uma peregrinação de desamor, e que o animal acabe por aí, vagando, procurando melhor destino. E se ele não for esterilizado, imagine então o que será de seus filhos...netos... quantos deles terão a sorte de uma vida digna? E você terá sua parcela de responsabilidade por toda essa tristeza.
presentear um animal a alguém sem prévio acordo com o adulto que será responsável por ele, poderá indiretamente estar provocando o abandono. Ser responsável por um animal de estimação requer cuidados, gastos, espaço, tempo, disponibilidade
interna, requisitos que se a pessoa “presenteada” não dispuser naquele momento, pode acabar “desfazendo-se” daquele animal.

Ainda falta a nós, humanos, a consciência e a convicção de que um animal de estimação é parte da família da mesma forma que a criança e o idoso (sadios ou não) e não há nada que justifique o seu descarte.

Procure dar o exemplo: ser verdadeiramente responsável pelo que você conquistou e passar essa idéia adiante para seus filhos, seus vizinhos, no seu trabalho – para colegas e subordinados-, para as pessoas próximas a você. Assim estará promovendo ações positivas de responsabilidade e de bem-estar entre homens e animais.

“um exemplo vale mais que mil palavras”

O abandono e a morte prematura têm sido o destino de milhares de animais “de estimação” na cidade de São Paulo. Inocentes, vítimas das intempéries `a mercê dos maus tratos de pessoas desequilibradas, vagam pelas ruas em busca de um pouco do muito que têm para trocar: amor, alegria, companheirismo.
O poder público, cumprindo seu papel de controlador das zoonoses, recolhe e/ou recebe diariamente uma quantidade de animais que vão para celas, no CCZ, aguardar sua execução no 3º dia de estada, caso seus donos não compareçam para resgata-los. Apesar de inocentes, são punidos com a morte por não terem alguém que se responsabilize por eles.

Se você pensou num “abrigo” como solução para animais sem dono, esqueça! A maioria dos abrigos são verdadeiros depósitos, superlotados de animais tristes, sem perspectiva de atingir o que mais desejam: ter alguém para se dedicar ; alguém que receba o muito amor que têm para dar, alguém que lhes dê atenção. Como se fossem criminosos, são trancados para sempre em celas. São muitos.

Controle de natalidade

Conscientes disso, ambientalistas do mundo inteiro, apoiados pela orientação da Organização Mundial de Saúde “receitam” o controle da natalidade (através da castração) como única medida eficaz para diminuir o abandono, os maus tratos e a morte prematura e injusta de milhares de animais domésticos com e sem raça definida.
Veterinários de vários países, conscientes do seu importante papel , engajaram-se em campanhas de esterilização/castração a preços reduzidos, contribuindo para a melhor qualidade de vida dos animais de estimação.

Em São Paulo, a Prefeitura firmou convênio com algumas OBEAs - Organizações de Bem-Estar Animal para juntos trabalharem pelo controle
de natalidade. Essas ações são da maior importância para a solução do problema, mas isoladas não são suficientes.

Responsabilidade
É preciso que cada cidadão torne-se consciente da sua responsabilidade individual de fazer esterilizar seu próprio animal (independentemente da raça) e de informar seus parentes e amigos sobre a importância desse ato de amor, de responsabilidade e de respeito à vida digna
com qualidade.

O animal cruza por que tem o instinto da procriação, e só com a ajuda de seres humanos responsáveis pode evitar crias indesejadas.
Saiba das vantagens da castração para o seu animal (seja macho ou fêmea), a partir de que idade ela é indicada e da nova técnica cirúrgica mais rápida e menos invasiva.


“Para cada animal morto nessa cidade, existe uma história de abandono. Você também é responsável”.


FONTE:

15 fevereiro 2008

TRATE COM CUIDADO

14/02/2008 - 18h09
Campanha da WSPA quer acabar com o transporte de animais para o abate
Da Redação

WSPA defende o fim de transportes de longas distâncias de ovelhas e outros animais
Cruel e desnecessário: estes são os adjetivos usados na campanha "Trate com Cuidado", lançada no dia 12 de fevereiro pela Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA), para definir o transporte de animais em longas distâncias, que termina com o abate. As viagens nos caminhões, segundo a instituição, provocam sofrimentos e mortes aos bichos, como bois, cavalos, porcos e ovelhas.Entre as rotas mais criticadas na campanha está a que leva o gado do Brasil para o Líbano, ovelhas da Austrália para o Oriente Médio, cavalos da Espanha para a Itália e suínos do Canadá para o Havaí.
Para ampliar a discussão, a WSPA divulgou imagens chocantes, captadas por câmeras escondidas, do sofrimento dos animais nas longas jornadas. A organização aponta que o sofrimento dos bichos é desnecessário, já que há a possibilidade do transporte de carne resfriada e congelada.A campanha pretende chamar a atenção das pessoas e pedir aos governos do mundo todo que impeçam a prática. No Brasil, o site do WSPA tem colhido assinaturas para uma carta, que deverá ser entregue ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (para participar é só clicar em "agir" na página da campanha.O documento, segundo os organizadores, deverá ser enviado num prazo de dois meses, se a instituição reunir número satisfatório de assinaturas.

PÁGINA DA CAMPANHA




cada semana, milhares de bois e vacas são submetidos a uma jornada de três semanas desde o porto amazônico de Belém, no Brasil, até Beirute, no Líbano.



O gado é comprimido em caminhões sob o abrasador calor amazônico. Durante quatro dias são incapazes de se mover ou deitar e não recebem nem alimento nem água. Os que caem são esmagados ou feridos. No navio, a utilização de ferrões elétricos para carregá-los aumenta ainda mais o estresse do gado enfraquecido. Esmagados contra animais estranhos, os animais se ferem uns aos outros na sua agitação. Insolações, traumas e doenças respiratórias serão dizimadores numa jornada de dezesete dias.



Quando chegam ao Líbano, os animais são muitas vezes abatidos de forma desumana e violadora das normas religiosas. Após semanas de desnecessário sofrimento animal, o consumidor é erradamente levado a crer que a carne é ‘Halal’. O abate humanitário, realizado num local próximo ao de onde os animais foram criados, não só terminaria a crueldade do transporte por longas distâncias, como criaria empregos no Brasil.


É HORA DE AGIR
O Brasil pode dar um exemplo para o mundo. Assista ao video e assine conosco a carta ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento pedindo o fim do transporte de animais por longas distância.
CARTA

29 dezembro 2007

Conto de Natal para o ano todo
Osvaldo Molles
Era uma avenida na paisagem dos Evangelhos, bem na esquina do Novo Testamento. E apareceu um camelo cor de avelã, servindo coquetel nas tâmaras dos olhos. Na obstinada giba, uma triste cópia da pirâmide. E o focinho crestado pela iluminação da ribalta sem aplausos do deserto, começou a movimentar-se.
E disse : — Nada de meu tinha para dar ao Menino nascido em Belém. Então transportei os Magos que seguiam o caminho da Estrela. Dei meu fôlego ao Menino.
Veio um boi. Um boi que segundo o Dicionário de Caldas Aulete "serve principalmente para trabalhos de campo e para alimentação do homem". Depois disso, que dizer sobre aquele boi que se casou com a escravidão e que trazia, no focinho, a aliança do melancólico conúbio? E o boi disse:— O frio da Noite Santa era tão áspero que entrei na manjedoura para me aquecer. Mas vi lá um Menino com frio e sua mãe e seu pai... e não pensei mais em mim. Aqueci-O com o que eu tinha de meu: meu pobre alento.
Veio uma cabra montesa, rústica como uma mulher livre do campo. Vinha mascando liberdade entre os queixos bravios. E falou pouco:— Eu lhe dei do leite de meu filho.
Veio, depois, uma ovelha, macia como uma reza de criança. No perfil trácio trazia o desenho da educação sem humildade. Sua cabeça baixa tinha a altivez dos que meditam. E disse :— Nada lhe podia dar e me deitei aconchegada ao Menino, para aquecê-lo na noite álgida. Dei-lhe muito pouco: dei-lhe apenas meu calor.
Veio um jumento sisudo e muito percorrido., desses que já viram quase tudo e que já não querem ver mais nada. Um jumento — muito velho e usado — que conhece muito bem a História:— Quando o rei Herodes mandou decapitar crianças, eu O levei na fuga para o Egito.Veio o peixe e disse :- Eu saltei para o barco de Pedro. Eu lhe dei a fé.
Veio o grão de trigo e falou:— Eu me multipliquei quando Ele m'o pediu. Dei-lhe a ceia.
Veio a água ingênua e disse :— Eu me transformei em vinho. Dei-lhe meu sangue.
E veio o homem. O homem sábio — o único entre os animais que possui o segredo da Eternidade. O homem que é rei da Criação e proprietário do livre arbítrio.
E o homem disse:— Eu lhe dei a cruz.

29 setembro 2007

Dia Nacional de Adotar um Animal


4 de outubro - Dia Nacional de Adotar um Animal





Agregar valores é uma proposta de aprendizado, é sinônimo de fortalecer e crescer.O dia 4 de outubro, é dedicado a São Francisco de Assis, o verdadeiro protetor dos animais.Não consigo vislumbrar , um dia melhor que este , para aproximarmos as pessoas dos princípios que envolvem a adoção.

São Francisco de Assis nasceu em 1182, em uma rica família mercante do norte da Itália, onde inicialmente continuou o negócio de seu pai. Depois de um período de prisão por envolvimento em uma disputa de fronteiras em 1202, abandonou tudo em favor da vida religiosa.Adotou a extrema a pobreza, mas pemaneceu trabalhando e pregando, especialmente para os pobres e doentes.

Seu exemplo lhe trouxe muitos seguidores e em 1209, Inocêncio III aprovou a Ordem Franciscana.Foi ordenado diácono, mas sua humildade evitou que aceitasse o sacerdócio completo. Rejeitou as posses materiais,vestindo apenas roupas simples e orientando seus seguidores a fazer o mesmo.

Seu ensinamento reflete um profundo amor ao mundo natural e respeito pelas mais humildes das criaturas.A vida deste homem é um exemplo forte que a maior riqueza a ser conquistada é a realização plena de um ideal.

Nesta data especial, devemos prestar nossa homenagem a São Francisco de Assis, incentivando a realização das boas ações, despertando nas pessoas o desejo de respeitarem todas as formas de vida, mantendo um contato mais próximo com os problemas mais possíveis de serem solucionados.A partir, dai elas serão aos poucos envolvidas, e num processo natural de evolução, irão buscando resolver problemas mais complexos, que necessitam de conhecimentos mais aprofundados.

Devemos aproveitar a oportunidade para conscientizarmos as pessoas sobre o direito dos animais.Mostrar que o problema dos animais tem solução , que isto não está relacionado diretamente com a existência deles , por isto eliminá-los não resolve nada, precisamos sim, alterar a maneira que o ser humano os vê dentro da sociedade.É preciso mudar as atitudes para rever os conceitos.Eles são regidos pelas leis da natureza, onde lhes é concedido o direito á vida.

O ser humano, criou tantas leis, que hoje esta perdido na sua essência.A partir do momento que as pessoas começarem a compartilhar riquezas interiores , aprendendo a SOMAR , tudo começara a mudar.

Analisando a "magia"escondida na palavra SOMAR, se invertermos as letras ficará RAMOS, que significa subdivisão do caule da árvore. São Francisco de Assis, representa aqui a árvore , a seiva, e o Dia Nacional de Adotar um Animal é um dos ramos, que somado aos demais irá florescer nos corações sensíveis, permitindo que os "frutos" sejam saboreadores por todos que souberam cuidar da semente, gerando raízes profundas , possibilitando que os animais desfrutem de uma condição digna de vida na sociedade.

Adotar um animal exige responsabilidade do dono e um compromisso com a vida deste ser indefeso.O abandono precisa ser encarado como um ato desprezível.O trato dispensado ao animal deveria caracterizar o perfil do caráter da pessoa.Quem o maltratasse deveria ser marginalizado pela sociedade.

Eu idealizei e estou empenhada em fortalecer esta data especial, comemorada pelo 7o.ano consecutivo, para incentivar a adoção dos animais abandonados. Existem muitos animais abandonados à espera da oportunidade de serem adotados . Uma chance de encontrar comida, um teto, saúde e carinho. Enfim, de encontrar uma família, que possa tratá-los com respeito e dignidade.O Dia Nacional de Adotar um Animal, propõe que a adoção, seja vista como uma opção na hora de adquirir um animal, sem preconceitos. Neste dia também precisamos fazer uma mobilização ressaltando a importância da posse responsável e da esterilização , como uma maneira de garantirmos o bem-estar dos animais.

Como você pode participar:

Divulgando esta proposta para seus amigos, nas escolas, nas igrejas, enfim ecoando no coração das pessoas.Através de cartazes confeccionados com muito carinho e criatividade, voce podera divulgar em vários locais públicos, clinicas veterinárias e pet shops.Cada aliado que se disponha ajudar , será sempre uma grande conquista e aumentará a possibilidade de diminuirmos o número de animais abandonados.

A sua entidade poderá realizar eventos de manifestação de apoio e assim, fortalecer a sua participação neste processo de valorização e respeito ao animal na sociedade.Nos comunique sobre o evento a ser realizado, e estaremos divulgando no Informativo.

Todas as sugestões que possam contribuir para que a data seja comemorada com muito entusiasmo e dinamismo , devem ser enviadas para jornalismo@animalivre.com.br



4 de outubroDia Nacional de Adotar um Animal

Plante a semente da caridade. Colha os frutos do amor!Fonte: Vininha F. Carvalho - Del Valle Editoria

http://animalivre.uol.com.br/home/?tipo=noticia&id=2212

31 julho 2007

CANSEI

Pelo Brasil, vamos fazer 1 minuto de

silêncio.Movimento Cívico pelo Direito dos

Brasileiros.DIA 17 DE AGOSTO ÀS 13:00.

http://www.youtube.com/watch?v=j8fhLhyS8bk

17 julho 2007

EU E MEUS DONOS



EU E MEUS DONOS

Dizem os médicos que as pessoas que têm um bicho de estimação são menos propensas a uma série de doenças. Parece que a companhia do animal desperta nos homens mecanismos de carinho, de afeto, de atenção, sobretudo naquelas pessoas muito solitárias, não importa a idade. O contato com o bicho, que se apega ao dono de uma forma amorosa e irrestrita, proporciona calma, tranqüilidade e um canal para a expressão do afeto. Com isso, vem a saúde, ou pelo menos se evita ou retarda a doença.
Evidentemente, quando os médicos falam essas coisas estão se referindo a animais como o cachorro, um peixinho, um pássaro. Nunca porem, a um gato.
Os gatos não são animais de estimação. Pelo contrário: nós humanos, é que somos propriedade desses felinos, que acham que os seres humanos foram criados para servi-los, alimenta-los, acaricia-los e alisar-lhes o pelo. Quer ver?
Quando você vai viajar, e coloca a mala em cima da cama para arrumar suas roupas, o gato aparece imediatamente e se deita em cima do seu blazer preto de grife. Para ele, você apenas arrumou aquele lugar para que ele se deitasse.
Compre um sofá novo e caríssimo, forrado com aquele tecido rugoso e tão alinhado. O gato logo entende que aquela textura foi fabricada apenas para que ele afiasse as preciosas unhas. E o patê de atum que você preparou para os seus convidados provavelmente será desviado para satisfazer a gulodice do bichano que, atraído pelo cheiro, lhe olhará com olhos suplicantes e ternos, sem um só miado, mas com um convencimento tão grande na expressão que é impossível resistir. Acomode-se na cama, na posição ideal para adormecer ou ler que ele chega, sorrateiro, quente e pesado, deita-se sobre suas pernas obstruindo sua circulação.
Não adianta ensinar-lhe gracinhas, como ao cachorro, ou ao papagaio. O gato é superior demais para prestar-se a esse papel. Também não é o melhor amigo do homem: é, sim, o melhor amigo dele mesmo. Orgulhoso, esnobe e delicado, amante amoroso e fera bravia, quando se entrega aos nossos carinhos não o faz por afeto a nós: antes permite que o acarinhemos, recebendo isso como um tributo que nós, humanos, lhe devemos.
Pertenço a dois gatos: Everaldo Tavares, o gato cinzento, e Júlio Braga, o gato amarelo. Cada um deles tem sua personalidade própria e especial, cheia de nuances. Depois que eles me adotaram como o animal de estimação deles, minha vida ganhou um novo significado e agora mesmo, enquanto escrevo, Everaldo cochila no meu colo. Tem até um leitor que me ligou uma noite e leu ao telefone um poema que ele fez – advinha pra quem? Para meus dois gatos, caro leitor, e não para mim, como você talvez estivesse imaginando.
Finalmente, antes que os proprietários de cachorros saiam aflitos em defesa dos seus bichos, dizendo-os mais especiais do que os gatos, respondo com uma simples pergunta. Quando você chama um homem de “cachorro”, você quer dizer o quê? E quando o chama de “gato”, qual é o significado?


Texto:Clotilde Tavares (Jornalista/ escritora)

Foto: Tatu (Meu dono...rsrsrrssr)



Agradeço a amiga Vânia pela linda lembrança que me enviou e convido todos a visitar o blog da minha filha SAVE ANIMAL e meu novo blog onde estou postando textos da Clarice Lispector


Bjs

11 julho 2007

10/07/2007 - 12h04
Paul McCartney faz apelo em favor do vegetarianismo e contra o desmatamento
LONRES, 10 JUL (ANSA) -

O ex-Beatle Paul McCartney pediu para a população mundial se tornar vegetariana para deter desse modo o aquecimento global e suas conseqüências.McCartney, de 65 anos, afirmou que cada um dos habitantes do planeta "pode fazer" algo para evitar o chamado efeito estufa, "modificando seus hábitos alimentares e substituindo a carne pelos vegetais"."
A criação de vacas, bois e porcos é um dos principais destruidores do planeta", declarou o músico britânico.
"Quando vemos que a Amazônica está sendo desmatada pelo chamado `gado de hambúrgueres', isto fica mais que óbvio. E dizem que fazem isso é em beneficio dos humanos, quando na verdade ocorre o oposto. Ninguém considera que deve mudar, no entanto, trata-se de tomar uma posição com relação a isso", disse McCartney.
O ex-Beatle se juntou assim a uma lista de estrelas da música, entre elas Madonna, Duran Duran e Phil Collins, que pediram neste fim-de-semana durante o mega-show Live Earth para que medidas sejam tomadas contra o aquecimento do planeta. (ANSA)

E VOCÊ, O QUE ESTÁ FAZENDO PARA AJUDAR A SALVAR O PLANETA?


WWF-Brasil. Cuidando do ambiente onde o bicho vive. O bicho-homem.

06 junho 2007

Mais um blog em defesa dos animais

Peço desculpas aos amigos pela ausencia. Problemas de saude continuam me mantendo afastada e isso me deixa triste e saudosa......
A todos que me visitam suplico que tenham mais um pouco de paciencia pois em breve, se Deus quiser, estarei de volta.
Hoje tenho um boa noticia: Minha filha Chris está de volta aos mundo dos blogueiros e a defesa animal e ficarei feliz se vocês passarem por lá :


Beijos

12 maio 2007

FELIZ DIA DAS MÃES!!!!!

Domingo, 13 de maio, é o dia dedicado às Mães e o MUNDO ANIMAL faz aqui uma pequena homenagem a todas as Mães do mundo :BRANCAS E NEGRAS, RICAS E POBRES, JOVENS E VELHAS, RACIONAIS E IRRACIONAIS, porque no amor aos seus filhos todas elas se igualam.
PARABÉNS MAMÃE!!!

Ser Mãe
Ser mãe é desdobrar fibra por fibra o coração!
Ser mãe é ter no alheio lábio que suga,
o pedestal do seio, onde a vida, onde o amor, cantando, vibra.
Ser mãe é ser um anjo que se libra sobre um berço dormindo!
É ser anseio, é ser temeridade, é ser receio,
é ser força que os males equilibra!
Todo o bem que a mãe goza é bem do filho,
espelho em que se mira afortunada,
Luz que lhe põe nos olhos novo brilho!
Ser mãe é andar chorando num sorriso!
Ser mãe é ter um mundo e não ter nada!
Ser mãe é padecer num paraíso!

Coelho Neto


07 maio 2007

Agradeco mais uma vez aos amigos que continuam visitando o MUNDO ANIMAL pelo carinhos e compreenção que têm demonstrado com a minha ausência. Estou fazendo fisioterapia e terapia ocupacional para recuperar movimento e a força do braço direito que fraturei e em breve estarei de volta com força total.
bjs





https://s3.amazonaws.com:443/slideshare/ssplayer.swf?id=46160&doc=pedido-de-desculpas-28211" width="425" height="348">https://s3.amazonaws.com:443/slideshare/ssplayer.swf?id=46160&doc=pedido-de-desculpas-28211" />